Impeachment

22 de março de 2016

Não gosto desse governo desde que fiz campanha eleitoral contra ele em 2014.

Não gosto desse governo porque ele usa como método a mentira.

Não gosto desse governo porque ele não se defende explicando ele o faz atacando e comparando ficticiamente.

Não gosto desse governo porque, ao contrário do que sempre disse, não tem propostas exequíveis.

Não gosto desse governo porque perdeu controle da economia

Não gosto desse governo porque deixou voltar a inflação.

Não gosto desse governo porque trouxe de novo o desemprego em massa ao país.

Não gosto desse governo!

Entre outras coisas e por muitas outras coisas… Definitivamente

Não gosto desse governo.

E, por não gostar desse governo posso, legalmente votar o seu impeachment?

Não, não posso.

Aí, surgem as “pedaladas fiscais”

Foi ou não foi um crime? Foram necessárias escolhas de prioridades de pagamento?

Houve ou não intenção de maquiar as contas para passar impressão que tudo estava bem?

A Presidente sabia ou não que essas escolhas ou maquiagens eram feitas?

Não há provas quanto a isso.

O impeachment é o IMPEDIMENTO DE UMA PESSOA que tenha ela própria cometido um delito.

Então, não posso, por isso votar o Impeachment.

Mas aí chega o mês de março com suas fortes aguas e, os fatos, aos borbotões, transbordam nas mídias.

Não se contendo, com pena de seu amigo Dilma pega o telefone e diz: Lula eu tô mandando um papel aí, só usa em caso de necessidade. Como que pressentindo a besteira que acabara de ouvir, um Lula desanimado e monossilábico encerra com um quase inaudível “querida”.

Aí, ela acabou de legitimar o seu impedimento.

Exauriram-se as dúvidas; A PESSOA COMETEU O DELITO.

Meu voto será SIM.

 

 

Compartilhe/Salve

É isso!

7 de março de 2016

Há muito vi um cristal se quebrar

Os cacos olhei sem esperança de juntá-los

Senti a impotência e a perda de fé

Caminhei um tempo tentando entender

Resisti muito em aceitar o desastre

Passei o tempo pensando errado

Meu cristal não quebrou….

Continua intacto aqui dentro de mim:

Continuo querendo direito a oportunidades para todos, educação de qualidade,

saúde decente, segurança… Um Brasil para as pessoas.

O que se quebrou não foi o cristal, felizmente!

A fé continua de pé

O que tem que cair são os falsos profetas, apropriadores de sonhos, destruidores de utopias….

Fora Cambada!

 

Medidas Proposta a serem discutidas seriamente. ZIKA

14 de fevereiro de 2016

ABRASCO

1) Imediata revisão do modelo de controle vetorial. O foco deve ser a ELIMINAÇÃO DO CRIADOURO e não o mosquito como centro da ação; com a suspensão do uso de produtos químicos e adoção de métodos mecânicos de limpeza e de saneamento ambiental. Nos reservatórios de água de beber utilizar medidas de limpeza e proteção da qualidade da água e garantia de sua potabilidade;

2) Nas campanhas de Saúde Pública para controle de Aedes aegypti, imediata suspensão do uso de Malathion ou qualquer outro organofosforado, carbamato, piretróide ou organopersistente, seja em nebulização aérea ou em cortinados tratados com veneno (mosquiteiros impregnados). Substituir o uso desses produtos por barreiras mecânicas, limpeza, aspiração, telagem de janelas, portas entre outras medidas;

3) Nas medidas adotadas pelo MS para controle de Aedes aegypti em suas formas larva e adulto, imediata suspensão do  Pyriproxyfen (0,5 G) e de todos os inibidores de crescimento como o Diflubenzuron e o Novaluron, ou qualquer outro produto químico ou biológico em água potável. O conceito de potabilidade da água não pode ser perdido, ele é a chave para as medidas participativas de eliminação de vetores.

4) Que sejam realizados esforços intersetoriais para a acabar com a intermitência do abastecimento de água nas áreas de urbanização precária. Água é um direito humano. As populações mais vulneráveis devem, por equidade, serem as mais protegidas;

5) Que as ações de controle vetorial no ambiente seja uma atribuição dos órgãos de saneamento e de controle ambiental municipais, estaduais e nacional e não só do SUS, que deve atuar na vigilância entomológica, sanitária, ambiental, epidemiológica, virológica e da saúde do trabalhador, aferindo se as medidas de saneamento ambiental estão resultando em melhoria das condições de saúde;

6) Que as políticas urbanas e de saneamento ambiental promovam programas integrados para a resolução dos problemas de moradia, saneamento e urbanização;

7) Que a vigilância epidemiológica seja realizada por profissionais experientes em clínica, fisiopatologia e epidemiologia, em diversos níveis do SUS. Esta proposição se dá no fortalecimento da integração e atuação articuladas das áreas de vigilância da saúde com as áreas de produção de conhecimentos.

8) Que sejam realizadas pesquisas clínicas e informadas outras disfunções ou malformações relativas as viroses da Dengue, da Zika e da Chincungunya e que sejam estudados os efeitos da exposição a produtos químicos utilizados no controle vetorial do Aedes aegypti;

9) Que o amparo às famílias acometidas pelo surto de microcefalia se dê mediante uma política pública perene e não transitória. Que esse apoio seja integral, incluindo neste atenção a família pelo trauma psíquico decorrente desse desfecho gestacional.

10) Que seja realizada uma auditoria nos modelos de controle vetorial por uma comissão multidisciplinar de especialistas  independentes, incluindo avaliação do modos operados do Fundo Rotatório da OPAS/OMS a ser solicitado pelo governo brasileiro, quiçá em conjunto com outros países latino-americanos que sofrem as mesmas imposições,  à Organização da Nações Unidas;

12) Que seja ratificada a imediata elaboração pelo Ministério da Saúde de orientações técnicas para a Atenção à Saúde dos Trabalhadores da Saúde que NO PASSADO se expuseram aos agrotóxicos utilizados no controle do Aedes aegypti, a serem adotadas pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, em acordo com a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e com experiência exitosas;

13) Que seja criado, pelo MS, um Portal para acesso amplo da população a todos processos e fatos associados ao controle vetorial, às epidemias relacionadas à ação do Aedes aegypti e a epidemia de microcefalia. Nele deve também ser informado quando utilizados, o volume, os tipos de produtos químicos, o número de domicílios e imóveis nebulizados, por Unidade da Federação e por município, pois são do maior interesse dos profissionais de saúde e da sociedade.

Selfie

9 de janeiro de 2016

Já não se fala de nada

Só se produz o silêncio

Nem se escuta o vento

E as gotas de chuva que caem

São tempos surdos

Estão tempos mudos

Vazios de atenção

Transbordando brilhos e sorrisos

Poses estudadas e iguais

Sempre em frente aos espelhos

Surgem as imagens solitárias…

…da vaidade.

Mário Heringer

Sem Troca

8 de janeiro de 2016

Onde buscar esperança se só há descrença?

Onde buscar alegria se só há tristeza?

Onde buscar fé se só há dúvidas?

São Francisco de Assis orai por nós!

Onde buscar amor se só há ódio?

Onde buscar luz se só há trevas?

Onde buscar perdão se só há ofensa?

São Francisco de Assis orai por nós!

Onde buscar união se só há discórdia?

Onde buscar verdade se só há erro?

Onde buscar esperança se só há desespero?

São Francisco de Assis orai por nós!

Fazei que procuremos mais compreender, amar, consolar, perdoar, dar….

Sem o dando para receber… com o dando por dar.

Sem o amando para ser amado… com amando por amar.

Sem o consolando para ser consolado… com consolando por consolar.

Sem o perdoando para ser perdoado… com o perdoando por perdoar.

Amém!

No pau de sebo

6 de novembro de 2015

A imagem que me vem a cabeça quando penso nos dois personagens que dominam a mídia política atualmente é no mínimo prosaica.

Me lembra a infância quando, nas festas juninas, cortavam uma árvore bem comprida de eucalipto, tiravam-lhe a casca e ensebavam-na.

Antes de reerguê-la na sua ponta amarravam uma prenda(prêmio) para quem, atrevendo-se tentar subir, pudesse ser contemplado com o grande sonho.

Era o nosso querido “pau de sebo”. Fazia nossa alegria tentar e, rir de quem tentava subir e quanto mais nos esforçávamos mais caiamos.

Mas não pensem vocês que ninguém conseguia….Tinha técnica, equipes se formavam, usava-se areia para tirar o sebo e dar mais atrito….uns raros chegavam lá.

Imagine agora, dois “paus de sebo” juntinhos, lado a lado.

Pendure em um deles a mais ou menos 1/4 do chão a Presidente Dilma e no outro a mais ou menos 1/2 do chão o Presidente Eduardo Cunha.

Agora é ver quem cai primeiro.

Ou quem tem equipe para chegar na ponta do seu “pau de sebo”.

GLOSSÁRIO: Prenda= Fim do mandato

1/4= tempo do mandato percorrido

1/2= tempo do mandato percorrido

Enquanto isso, no mundo real menos prosaico, o Brasil assiste sem achar graça, essa guerra de bugios

 

Repatriar ou Lavanderia oficial?

28 de outubro de 2015

Estamos discutindo o “Repatriamento de recursos” escondidos no exterior….

Se eles são lícitos qual a dificuldade de trazê-los de volta ao Brasil?

Qual a necessidade de uma Medida Provisória para repatriamento?

…..Desconfio que tem gato na tuba.

Será que essa nossa decisão de apoiá-la não atende a salvação de alguns ilícitos?

Como mecanismo de captação de recursos na “nossa” crise pode ser positivo….Era dinheiro perdido não tributado.

Lavar dinheiro????

oficialmente???

Ainda pensando!

 

 

E enquanto isso….

16 de outubro de 2015

… o tempo passa ,a inflação sobe, a fé acaba

o dólar ignora a vida real… enquanto isso.

Enquanto isso….

a gente descobre que uma andorinha não faz verão

e com verão louco…cresce a conta da luz

os suores e os humores entornam pelos poros

fazer o que?

 

A Propaganda…..e a varanda

16 de outubro de 2013

Assisto, sentado na varanda, a propaganda….

Assisto, a propaganda, sentado na varanda…

Na varanda, sentado, assisto propaganda….

Na varanda, assisto propaganda, sentado…

Sentado, na varanda, assisto propaganda…

Sentado, assisto propaganda, na varanda….

Insisto…

Não quero desistir…..

Mas, perco a fé quando vejo……. a fé dos inocentes….

….que acreditam nos indecentes, sem sequer pensar….

….que batem palmas aos canalhas.

superam a exigência sem verem falhas…

e morrem a cortejar…..a sorte!

ou……….cortejam a sorte a beira da morte….

Enquanto isso…..bocas de ouro sugam o tesouro desse povo ingente!

Prontos para próxima…..

 

 

Soluções duradouras

10 de outubro de 2013

Se algum governante quisesse resolver o problema de saúde do Brasil deveria:

1-Aumentar número de vagas nas faculdades públicas instituindo cursos noturnos para alunos socialmente menos favorecidos(exclusivamente)

2-Facilitar acesso de estudantes ao FIES com pagamento em trabalho após formatura e/ou residência Médica.

3-Ampliar residências médicas para hospitais privados(que tenha condições de treinamento)

4-Criar residência médica em medicina de família(clinica básica) e medicina geral(basico em; Cirugia geral, Obstetricia, Anestesiologia,Clinica Médica, Pediatria e Ortopedia)

5-Formar médicos preceptores, treinadores para especialidades acima.

6-Criar CARREIRA DE ESTADO PARA MÉDICOS que fizerem residência médica nas especialidades citadas acima.

7-Ao enviar o médico para regiões longinquas enviar também: Enfermeiro, Tec. RX, Tec. Labotatório…..com a devida infra estrutura. Criar condições para que as famílias desses profissionais pudessem, indo juntas, ajudar na fixação do profissional na cidade.

8-Acabar com a disputa ideológica entre público e privado estimulando emprêsas patrocinar planos de saúde a seus funcionários(desafogando o SUS do excesso de demanda).

9-Atualizar valores da tabela de remuneração do SUS….congelado muitos anos.

10-Criar mecanismo de saneamento financeiro de Santas Casas e Hospitais Universitários visando: refinanciamento das dívidas, linha de crédito para atualização dos equipamentos medicos(mais barato que o $$$$ dado ao EIKE), desoneração das folhas de trabalho(como foi feita para empreiteiras)…..

11-Isenção de impostos pra indústrias de equipamentos medico-hospitalares nos moldes feitos aos AUTOMÓVEIS , geladeiras…..

12-Ampliar  o Serviço Militar obrigatório para homens e mulheres de nível superior nas áreas afeitas  a saúde.

13-Criar rede de interrelação hierárquica dos serviços de saúde(UBS>UPAs>Minihospitais>Hospitais regionais>Hospitais especiais.)

14-Instituir a telemedicina para dar suporte especial médicos à distância.

15-Rever o pacto federativo com distribuição melhor dos impostos as cidades e estados(DESCENTRALIZAR)

16-AUMENTO  do Fundo de participação dos municípios(maior autonomia local)

.

.

.

Deixo espaços para idéias que vierem e reafirmo:

EU NÃO SOU CONTRA A VINDA DE MÉDICOS CUBANOS, SOU CONTRA A VINDA SEM CONTROLE DE QUALIDADE E SEM MONITORAMENTO DA ATIVIDADE. É SÓ!